O mito por trás da reciclagem do plástico.

Antes de qualquer coisa, vamos começar falando um pouquinho sobre a importância da reciclagem. Esse processo é um grande aliado da redução de descartes no nosso Planeta e ele funciona muito bem pra alguns materiais, como o alumínio. Você sabia que no Brasil, 98,7% de todas as latinhas foram recicladas em 2021? Nosso país é um dos destaques da reciclagem desse material. 


Porém, quando falamos do plástico, o cenário é outro. Além de ser pouquíssimo reciclado, apenas 9% no mundo e 1,3% no Brasil, a realidade é que o plástico nem pode realmente ser reciclado. Sim, sabemos que essa informação é chocante e vamos explicar tudinho aqui nesse blog, vem com a gente!

Índice

O que é reciclagem?

É essencial que a gente entenda primeiro o que é a reciclagem pra depois debatermos porque o plástico não passa de verdade por esse processo. A reciclagem faz recuperação de um item ou material e dá como resultado um produto de mesma qualidade que pode ou não ter a mesma finalidade que o original. Os materiais recicláveis, por sua vez, precisam ter qualidade o suficiente pra passarem pela reciclagem infinitas vezes sem perderem suas propriedades originais.

Pegando as latinhas como exemplo, quando elas são recicladas elas podem ser transformadas em outras latinhas iguais ou em peças pra composição de eletrodomésticos, componentes automotivos, etc. Geralmente elas acabam se tornando outras latinhas mesmo por conta da alta demanda do mercado e levam até 60 dias para estarem de volta no ciclo de consumo.

Imagem de latinhas em prateleira de mercado.

Outro ponto importante para destacar aqui sobre a diferença entre o plástico e as latinhas, é que no caso do alumínio, o processo de reciclagem é mais barato do que produzir um novo material. Enquanto para o plástico, é mais barato fazer um plástico novo do que reciclar ele. Isso acontece por falta de infraestrutura para a reciclagem desse material, além dos diversos tipos diferentes de produção, coloração, gramatura e tipos de plástico que tornam difícil a padronização necessária para reciclar.

Além de todas as dificuldades de reciclagem que o plástico enfrenta, ainda temos que destacar que muitos são descartados de forma incorreta. E quando são descartados nos lugares errados, os plásticos vão parar direto no meio ambiente, principalmente nos Oceanos, onde o plástico é responsável por 80% dos lixos encontrados. 

Reciclagem x Downcycling

Agora que você já entendeu que pra ser reciclado um material precisa poder passar por esse processo infinitas vezes e ainda assim ser transformado em um outro objeto de igual ou maior valor, chegou a hora de explorarmos o que acontece com o Plástico. O nome pro processo que o plástico sofre é downcycling!

No downcycling, ao invés do objeto virar outro de mesma qualidade, o material fica com qualidade inferior a cada vez que passa pelo processo, até não poder mais ser “reciclado” e acabar no lixo. Ele pode até virar o mesmo tipo de objeto, por exemplo, uma garrafa plástica pode virar outra garrafinha, mas a qualidade dessa que passou pelo processo ficará prejudicada.

Não sabemos exatamente qual é o limite de reciclagens para o plástico porque isso depende de cada tipo de plástico, se é colorido ou não, o que mais compõem essa embalagem, etc. Muitas coisas sobre esse material tão comum no nosso dia a dia ainda são um grande mistério e isso é preocupante pra nós e pra natureza.

Greenwashing da indústria.

Também chamado popularmente de lavagem verde, o greenwashing é uma estratégia que evidencia práticas aparentemente sustentáveis de uma empresa, indústria ou organização, mas que na realidade apenas mascara práticas poluentes. E isso acontece muito com o uso do plástico!

As empresas justificam o uso de embalagens plásticas dizendo que elas são recicláveis, só que nesse momento entramos num beco sem saída: nada garante que o plástico reciclável realmente será reciclado. Isso porque a reciclagem desse material é mais difícil e cara do que outros, e ainda existem outros fatores que podem impedir a reciclagem dele, como a cor dele, por exemplo.

Copo de plástico com "ECO" escrito descartado na areia

Pra evitar cair no greenwashing, aqui vão algumas sinais pra ficar de olho:

  1. sem comprovações: produtos que se dizem sustentáveis, mas não expõem embasamentos científicos que comprovem a sua sustentabilidade. como por exemplo, cosméticos que se dizem naturais, mas não possuem certificados e nem mostram no rótulo seus ingredientes - ou pior, possuem um rótulo e nele existem vários ingredientes nocivos.

  2. troca oculta: nesse caso, a empresa evidencia uma questão que parece ser ambiental sobre um produto pra mascarar outros problemas mais sérios dele. por exemplo, dizer que usar copos descartáveis é melhor pro Planeta porque você não precisaria lavar o copo e assim evitaria o desperdício de água, só que na realidade usar o copo plástico é muito pior pro meio ambiente do que lavar um copo de vidro.

  3. argumentos vagos: você já viu algum produto que usa o claim “amigo da natureza” ou “ajuda o Planeta”? antes de comprar, investigue ingredientes, embalagens e propostas da empresa. se você não encontrar evidências que comprovem, provavelmente são alegações falsas. 

  4. irrelevância: o apelo usado até pode ser verdadeiro, mas geralmente ele é irrelevante pro consumidor final, já que geralmente são características obrigatórias por lei. por exemplo, dizer que um produto não contém CFC, essa substância já é proibida pra todos os produtos, então não usá-la não torna o produto mais sustentável que os demais. 

  5.  o “menos pior”: nesse caso, o apelo ambiental até pode ser verdadeiro, mas ele é usado pra distrair o consumidor do problema causado por aquele produto. como por exemplo, alegar que uma embalagem possui menos plástico. essa embalagem segue sendo de plástico, então ela continua sendo um problema pro Planeta, mesmo que tenha menos plástico que antes.

  6. declarações falsas: acreditando que o consumidor não irá confirmar as informações, empresas dão atributos falsos sobre seus produtos, como afirmar que eles passam por coleta seletiva, quando na realidade a empresa não tem como provar este fato.  

  7. rótulos falsos: várias empresas utilizam selos em suas embalagens que nem sempre são oficiais ou verdadeiros. verifique sempre se os selos que você está vendo são regulamentados por alguma entidade oficial.

O que acontece com o plástico?

Então, se a maior parte do plástico não é reciclado, o que acontece com ele? Vira lixo e poluição! Parece uma frase um pouco dramática, mas é o que acontece. A grande parte dele vai parar em aterros sanitários e na natureza, se acumulando em grandes quantidades que levam centenas de anos pra se decomporem. 

Antes, comentamos que ainda existem muitos mistérios sobre o plástico e isso inclui o tempo de decomposição. Apesar de termos no conhecimento comum que esse material pode levar mais de 400 anos pra se decompor, a verdade é que isso é apenas uma estimativa. A ciência ainda não conseguiu comprovar se ela é verdadeira, já que todos os testes são inconclusivos e ainda não se passou mais de 400 anos desde que o primeiro plástico foi criado pra confirmar essa hipótese.

Garrafas plásticas de cosméticos

E essas hipóteses ainda não levam em consideração os microplásticos que surgem a partir da decomposição. A verdade é que, até o momento, nenhum plástico se decompõe completamente, esse material vai se quebrando em partículas cada vez menores que se infiltram na água, no solo e até no ar. Neste ano (2022), foi comprovada a presença de plástico no sangue humano por uma pesquisa publicada na Environment International e outra pesquisa ainda confirmou em 2021 que estamos ingerindo 40 mil pedaços de microplásticos ao ano.  

Quando vemos por esse ângulo, fica ainda mais clara a problemática do uso constante e excessivo do plástico. Não conseguimos reciclar com facilidade, a reutilização dele é baixa e não conseguimos definir nem quanto tempo ele vai existir no Planeta. Portanto, o melhor caminho pra acabar com a poluição deste material é parar de consumir ele.

Como reduzir o impacto do plástico no Planeta.

Nós sabemos que o plástico está em todos os lugares e que isso pode tornar desafiadora a ideia de extinguir ele do nosso dia a dia. Mas, essa impressão de que tudo fica mais difícil sem o plástico é uma ilusão criada pela nossa própria rotina. Existem diversas trocas conscientes que são simples de serem feitas e que não vão tirar a praticidade que você precisa. 

Ah, uma coisa importante pra sempre ter em mente é que você não precisa fazer tudo de uma só vez. Quando começamos a entrar no mundo sustentável, temos a impressão de que é necessário mudar completamente todos os hábitos se não de nada adiantará fazer trocas sustentáveis. Mas calma, você não precisa fazer tudo correndo e mudar a sua vida em um piscar de olhos.

Ecobag com legumes e outras compras dentro.

Você já ouviu aquela frase “mais vale termos centenas de pessoas fazendo tudo imperfeito, do que uma pessoa fazendo tudo perfeito”? Pois é, isso é quase um mantra da vida sustentável. É mais vantajoso que mais pessoas façam trocas sustentáveis dentro das suas possibilidades, sem a necessidade de perfeição, do que termos pouquíssimas pessoas com rotinas 100% sustentáveis. 

Se quiser ver algumas dicas de como fazer trocas sustentáveis na sua casa, vem ler o blog Julho Sem Plástico: Como ter um Banheiro Sem Plástico

Barras ao invés de garrafas é o primeiro passo.

E que tal começar a sua jornada sem plástico pelo banheiro? Nossos cosméticos em barras foram desenvolvidos pensando em aliar uma rotina plastic-free com autocuidado de alta performance e que só traz os melhores ingredientes naturais pra você. Cada barrinha de shampoo, por exemplo, substitui até duas embalagens plásticas.  

Estamos na busca de revolucionar a rotina de cuidados diários uma barrinha por vez. Você pode começar pelos shampoos e condicionadores, apostando nas nossas Duplas ou partir direto pra Kits mais completos que vão desde os cuidados com os cabelos, passando pela pele e chegando até nas axilas.

Caixas de produtos da BOB com uma mão pegando uma barrinha.

Além de reduzir o uso e descarte de plástico na sua casa, você também vai usar apenas ingredientes veganos e naturais que não vão poluir os oceanos e nem encher seus poros de tóxicos nocivos. E, vamos ser sinceras, fazer essas trocas é tão simples quanto tomar banho! 

Você já sabia dessas informações sobre a reciclagem do plástico? Nos conte aqui nos comentários e compartilhe a sua rotina plastic-free lá no Instagram com a gente.

 

deixe um comentário

meus produtos