Compostagem doméstica: por que e como fazer

Compostagem doméstica: por que e como fazer

A compostagem é uma solução pra redução do lixo orgânico, o que ajuda também a reduzir os gases do efeito estufa.

Você sabia que metade do resíduo sólido gerado no Brasil é de matéria orgânica? De acordo com a Abrelpe (Associação Brasileira de Limpeza Pública e Resíduos Especiais), entre os anos de 2018 e 2019, 36,5 milhões de toneladas de lixo orgânico foram produzidas anualmente no país, mas só 1% foi reaproveitado. 

Ao entrarem em decomposição, esses resíduos geram gás metano em excesso e esse gás é um dos principais causadores do efeito estufa. De acordo com o diretor da Abrelpe, Carlos Silva Filho, se os lixos orgânicos fossem submetidos a processos de tratamento, as emissões reduzidas seriam equivalentes à retirada de sete milhões de automóveis das ruas. E é aí que a compostagem entra! Ela é uma solução pra nós reduzirmos a quantidade de lixo orgânico que descartamos. Segue aqui pra entender mais sobre esse método. 

Índice

O que é compostagem?

A compostagem é como se fosse um processo de "reciclagem" de matéria orgânica, em que a decomposição do lixo orgânico gera um adubo natural que pode ser usado no cultivo de plantas, em jardins e até na agricultura.

Na teoria, a gente deveria separar o nosso lixo de casa em três partes: recicláveis, orgânicos e rejeitos - e só os rejeitos não podem ser reaproveitados e deveriam ir pra aterros sanitários. Mas sabemos que na maior parte dos lares, todo o lixo é misturado e isso faz com que tudo aquilo que poderia de fato ser reciclado ou reaproveitado, acaba sendo descartado por estar contaminado com materiais orgânicos que apodrecem.

composteira com frutas

Leia mais: Zero Waste: o que é e como aplicar na sua rotina?

E como funciona a compostagem?

A compostagem dá aquela forcinha e acelera o processo biológico que acontece naturalmente quando a matéria orgânica "se encontra" com microorganismos presentes no solo, responsáveis pela decomposição. Depois de 2 meses, o resultado é um adubo natural, livre de químicos.

Há duas maneiras de fazer a compostagem doméstica: vermicompostagem (com minhocas) e compostagem seca (sem minhocas). 

  1. Vermicompostagem

A vermicompostagem é o método mais rápido, já que as minhocas ajudam no processo de decomposição. Aqui, o húmus de minhoca também é gerado, ele é um material rico em flora bacteriana que dá pras plantas uma nutrição equilibrada e maior resistência a doenças. 

Passo a passo:

Você vai precisar de: 3 caixas plásticas escuras (uma com tampa), folhas secas, galhos e aproximadamente 100 minhocas. 

  1. As caixas devem ser empilhadas uma em cima da outra e as duas caixas superiores devem ter pequenos furos na base pra se comunicarem – elas serão as responsáveis pelo processo de decomposição. A última caixa será usada só pra coletar o resíduo líquido orgânico (depois, ele pode ser diluído e aproveitado pra regar plantas e hortas).
  2. Forre o fundo da caixa com flores secas e galhos, essa base funcionará como um dreno pra composteira. 
  3. Depois, deposite a terra e as minhocas e logo acima os resíduos orgânicos. 
  4. Cubra novamente os resíduos com folhas secas – isso ajuda na oxigenação e evita odores desagradáveis. 
  5. Aí, é só colocar a tampa.

Você pode colocar lixos orgânicos diariamente na sua composteira e quando a primeira caixa tiver cheia (isso demora mais ou menos 1 mês, dependendo do tamanho do depósito), coloque ela pra baixo, deixando a antiga caixa 2, agora como caixa 1 e vá repetindo esse processo.  O seu adubo estará pronto a cada 2 ou 3 meses. 

Aqui uma dica de vídeo que esclarece o passo a passo do processo:

  1. Compostagem seca 

Essa aqui é considerada um pouco mais "arriscada", já que pode causar uns cheirinhos desagradáveis se o processo der errado. O desenvolvimento do adubo também é mais lento, sem a ajuda das minhocas, só os microorganismos fazem a decomposição e, outra coisa pra ficar atenta, como são as minhocas que geram oxigenação pra sua composteira, sem elas o mofo pode surgir. 

O passo a passo é o mesmo, a única diferença é que você não vai colocar as minhocas.

  1. Composteira automática

Uma outra técnica é apostar na composteira automática, ela é formada por microorganismos capazes de se multiplicar em altas temperaturas, salinidade e acidez – o que permite que alimentos mais ácidos (como frutas cítricas) sejam inseridos. Ah, nesse modelo também dá pra colocar derivados do leite e pedaços de carne, frango e peixes, que não são possíveis nas versões "manuais". 

E o passo a passo é super fácil: coloque os elementos permitidos dentro do tanque e deixe que a máquina lide com as etapas. Em 24 horas o adubo estará pronto.

Quais resíduos vão na composteira?

Mesmo que a composteira seja feita pra colocar resíduos orgânicos, não são todos os resíduos orgânicos que podem ir pra composteira. Restos de alimentos, como, frutas, verduras, legumes, cascas de ovos, grãos e sementes normalmente são liberados pra compostagem. Sachês de chás (sem a etiqueta) e borra de café também valem. Tem que tomar cuidado com a quantidade de elementos úmidos, como frutas cítricas, flores e alimentos cozidos. E estão totalmente PROIBIDOS: carnes, arroz, trigo, limão, óleos e qualquer líquido (iogurte, leite, etc.). Veja mais na nossa ilustração: 

Diferentes materiais que podem ir para a composteira

Mais do que saber o que pode ou não ser colocado na composteira, tem alguns cuidados básicos que precisam ser seguidos pra garantir que ela vai estar sempre funcionando bem. Olha só:

  • Umidade: fique sempre de olho na quantidade de alimentos ou outros materiais úmidos e sempre cubra os resíduos com folhagens. Além de prejudicar o processo, a umidade extrema pode trazer moscas – coisa que ninguém quer, né? Ah, mas também não precisa deixar tudo super seco, é só manter o equilíbrio.
  • Temperatura: cuidado também com o local que você for colocar a composteira. Evite a luz direta excessiva, isso também pode afetar o processo. O aconselhado é que você evite lugares com contato com o sol ou possíveis chuvas. 

Leia também: O mito por trás da reciclagem do plástico.

Dá pra colocar as embalagens da B.O.B na composteira?

Não é aconselhado colocar as minhas embalagens na composteira, não porque elas não são biodegradáveis e livres de agentes tóxicos, mas porque elas são coloridas e por mais que as tintas sejam a base de água, ainda assim elas podem contaminar de alguma forma o seu adubo e prejudicar o funcionamento pleno dele. O melhor é descartar as minhas embalagens no lixo seco/reciclável, onde elas serão destinadas pra reuso ou conseguirão se decompor normalmente. 

Ah, também não vale colocar restos de barrinhas na composteira, tá? Esse método é direcionado pra alimentos e minhas barrinhas, mesmo que naturais, possuem ativos que não são próprios pro consumo.

Agora me conta: você tem uma composteira? Quais as suas dicas pra quem está começando agora?

Call To Action sobre a sustentabilidade empregada pelos produtos em barra B.O.B
Compartilhe no Linkedin

Deixe um comentário

meus produtos

promoção
promoção
promoção
promoção
promoção
promoção
promoção
promoção
ver todos os produtos