Tudo o que você precisa saber sobre moda sustentável!

Com certeza você já viu por aí marcas que colocam selos ecofriendly em algumas linhas de roupas ou outras que denominam toda a sua forma de produção como sustentável. Ambas práticas podem ser consideradas moda sustentável. Porém, vamos combinar que ter apenas uma linha de produtos mais sustentáveis não é a melhor forma de diminuir o impacto ambiental de uma marca. Essa é uma medida temporária, pensada mais para o agora e menos para o longo prazo. 


A moda sustentável surgiu para minimizar ou neutralizar os impactos deste setor no nosso meio ambiente, e até para repensar o consumo como um todo dentro da nossa sociedade. Além da extração exacerbada de recursos naturais, este setor também é um dos mais poluentes. Cada etapa da vida de um item de vestuário, desde a produção, transporte, venda, lavagem e descarte causa impactos ecológicos prejudiciais ao meio ambiente. Por isso, rever a sua forma de consumo da moda é essencial. E, para ajudar você a fazer isso, trouxemos alguns dados importantes, dicas e marcas para você conhecer.

Índice

Impacto ambiental da moda 

Cada vez mais rápido as tendências chegam e saturam o mercado, o que antes era tendência por quase uma década inteira, agora fica menos de um ano como estilo em destaque. É claro que as redes sociais possuem uma grande influência nessa percepção do que deve ser considerado in e descolado. Com isso, as marcas de fast fashion ganharam protagonismo dentro do setor, produzindo com cada vez mais agilidade as tendências que são expostas nas vitrines virtuais de influencers ao redor do mundo. 

A maioria das roupas produzidas globalmente são feitas de poliéster, um fio derivado do petróleo. Grande parte deste material não é reciclado e apenas 14% do poliéster utilizado no mundo não é virgem. Porém, essa porcentagem de material reciclado nem corresponde a tecidos de poliéster descartados e reciclados, e sim a tecidos produzidos a partir de garrafas pet.

Hoje, a cada segundo temos 1 caminhão de lixo têxtil encaminhado para lixões e aterros sanitários; são 3.600 caminhões por hora, 86.400 caminhões por dia e 2.592.000 caminhões em um só mês! No Brasil, de acordo com dados de 2018 da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), 160 mil toneladas de sobras têxteis de pré-consumo (aqueles retalhos que sobram dos cortes das peças na hora da confecção) foram descartados em aterros sanitários por ano. A cidade de São Paulo, por exemplo, está com os atuais aterros sanitários já no limite e sem espaço para abrir novos. 

Agravando ainda mais o cenário do plástico na moda, tecidos provenientes de fontes plásticas liberam microplásticos na água, unindo-se à poluição dos nossos oceanos. Estima-se que meio milhão de toneladas de microplásticos vindos de roupas cheguem aos mares todos os anos. Isso constitui cerca de 35% dos microplásticos encontrados nos oceanos. Essa quantidade é equivalente a 50 bilhões de garrafas de plástico.

moda sustentável

O que é moda sustentável?

Resumidamente, a moda sustentável é muito mais do que pequenas ações tomadas pelo mercado para ter um menor impacto no meio ambiente. Essa segmentação engloba a produção consciente de tudo o que tem relação com o mundo da moda: roupas, calçados, acessórios, lingeries e etc. A ideia é utilizar o mínimo de substâncias poluentes nos processo de produção, além de ter um cuidado especial com transporte, embalagem e entrega destes produtos. Além disso, a moda sustentável também estimula a reutilização de peças usadas, indo contra o descarte e consumo desenfreado.

Sendo assim, moda sustentável não é apenas ter uma linha de roupas com um selo especial: é um cuidado com cada pequeno processo de produção dentro de toda a cadeia. E também é pensar no depois, organizando e incentivando programas de coletas de roupas e manejo dos descartes têxteis. 

Os diferentes segmentos da sustentabilidade dentro da moda

Para se adaptar ao mercado, a moda sustentável também possui diferentes correntes, algumas delas são:

Moda ética

Esse conceito ganhou força em 2004 no evento Ethical Fashion Show em Paris. A Moda Ética questiona não apenas o impacto ambiental do setor da moda, mas também a dimensão sociocultural. Neste ramo da moda sustentável é discutida também a exploração de funcionários de confecções, que muitas vezes são submetidos a condições análogas ao trabalho escravo. 

O dia 24 de abril de 2013 deu origem à organização Fashion Revolution e ao dia oficial do Fashion Revolution Day. Nesta data, 1.133 pessoas morreram no complexo de fábricas Rana Plaza em Dhaka e este é considerado o pior acidente da indústria da moda. Aqui, um dos principais questionamentos é: quem fez as minhas roupas e sob quais condições?

Zero-waste fashion

Você já parou para pensar sobre todos os descartes que são feitos para a produção de uma peça de roupa? O zero-waste fashion propõe esta reflexão e uma nova forma de produção dos itens de vestuário. A ideia, aqui, é gerar o mínimo possível de resíduos e desperdícios na fabricação dos produtos. Esse movimento também propõe a reutilização de retalhos para a produção de novas peças.

moda sem desperdício

Upcycle

Essa é uma tendência que cresce cada vez mais no ramo da moda sustentável. O objetivo é transformar itens que seriam descartados em novas peças. Ele pode ser aplicado tanto na indústria quanto no dia a dia do consumidor final. Para as grandes empresas, essa técnica geralmente se utiliza de artigos de outras indústrias e os transforma em peças de roupas. Como garrafas PET que viram camisetas, por exemplo. Para os consumidores finais, o Upcycle chega com uma nova cara: você já deve ter visto vários DIY de como transformar um jeans em shorts, por exemplo. Isso também é Upcycle. 

Slow fashion

Oposto do fast fashion, o slow fashion defende uma relação de consumo mais consciente com o meio ambiente e a dimensão sociocultural deste ramo. Ele incentiva a compra em lojas locais com produções mais artesanais e um pensamento menos voltado para o global, e sim para o que faz sentido para você individualmente. O slow fashion também pede por um pensamento mais profundo antes de fazer as suas compras. Ao invés de adquirir apenas aquilo que está na moda, é importante pensar se realmente é algo que você precisa e usará. Tendências são para gerar identificação e expressão, e não algo que deve ser seguido cegamente por todo mundo.

Brechós também são moda sustentável?

Sim, brechós também podem ser considerados um tipo de moda sustentável. Afinal, eles não produzem as peças vendidas e dão um novo destino para roupas que poderiam ser descartadas. Além de eliminarem grande parte do processo poluente das grandes empresas, os brechós também se alinham com a dimensão sociocultural da moda, já que tornam muitas peças mais acessíveis para um público de poder aquisitivo mais baixo.  

Porém, nos últimos anos, os brechós passaram por algumas mudanças e modernizações. A busca por roupas vintages (e mais acessíveis) tornou esse tipo de loja mais requisitada pelos jovens adultos. Com isso, brechós online e valores mais caros para peças usadas começaram a ser aplicados, ressignificando a ideia de brechó na sociedade. A popularização dessas lojas causa opiniões controversas. Enquanto muitas pessoas acham positiva essa visibilidade e acreditam que essa seja uma forma de valorizar o slow fashion e o consumo consciente, outras acreditam que a popularização dos brechós acabou com a característica sociocultural, tornando essas lojas menos acessíveis para o público que realmente precisaria delas.

Comece por aqui

Se você quer começar a ter um consumo consciente e aderir à moda sustentável, separamos algumas dicas práticas para ajudar você. Então, pegue o bloquinho e anote:

  • Faça aquela limpa no seu guarda-roupa, veja tudo o que você não usa mais ou que não serve e doe;
  • Quando for comprar uma peça nova, pense se realmente é algo que você precisa ou usará;
  • Se decidir pela compra, acostume-se a doar sempre uma peça antiga quando comprar uma nova;
  • É importante também prestar atenção ao local onde você comprará: prefira os que fazem pouco ou nenhum uso de plástico em suas embalagens;
  • Prefira lojas locais com produções mais sustentáveis e que os processos sejam transparentes.

Marcas para conhecer, seguir e investir

Agora que você já sabe tudo sobre a moda sustentável e já pegou as dicas para começar o seu consumo mais consciente, vamos listar aqui algumas lojas para você conhecer:

insecta shoes instagram@insectashoes 

Focada em sapatos, a Insecta Shoes reutiliza materiais que seriam descartados e os transforma em sapatos cheios de estilo. Sua principal matéria prima são roupas de brechó, que dão origem aos tecidos, estampas e visual das coleções.

rent style instagram

@rent_style 

Para quem está sempre em busca de novas tendências e adora brincar com o estilo, alugar pode ser a escolha perfeita. Dessa forma, você investe em uma peça que gostaria de usar, mas sabe que não será um elemento fixo do seu guarda-roupa.

gioconda collective instagram

@giocondacollective

Focada em roupas íntimas e em ressignificar a relação da mulher com o que ela veste, o Gioconda Collective preza pelo conforto e pela liberdade de cada corpo aliado à sustentabilidade. Todas as matérias primas utilizadas para a produção das peças são naturais e orgânicas.

coletivo de dois instagram

@coletivodedois

Moda artesanal, autoral e atemporal, esses são os principais descritivos do Coletivo de Dois. Eles utilizam retalhos e reutilização de tecidos até o limite, acreditam no empoderamento de gênero e aplicam práticas sustentáveis em cada detalhe.

lela brandao instagram

@lelabrandao.co

O conforto é o protagonista das peças da Lela Brandão CO, uma marca voltada para as mulheres e produzida para dar o máximo de praticidade no dia a dia deste público. As peças são minimalistas e atemporais, trazendo versatilidade para o guarda-roupa.

Moda sustentável + rotina plastic free

Claro que a moda sustentável tem tudo a ver com o que acreditamos aqui na B.O.B. Uma rotina plastic free vai além de usarmos shampoos e condicionadores em barra. Esse estilo de vida também engloba outras decisões conscientes e que vão ajudar na preservação do meio ambiente. Opte por tecidos naturais, por compras em lojas locais e reduza o plástico da sua vida.

E aí, vocês já aplicavam a moda sustentável no dia a dia de vocês? Contem aqui nos comentários!

 

deixe um comentário

nossos produtos