Zero Waste: o que é e como aplicar na sua rotina?

Zero Waste: o que é e como aplicar na sua rotina?

Dá pra reduzir a sua produção de lixo, sem impactar a sua rotina. Ser sustentável é mais fácil do que parece!

Já observou a quantidade de lixo que você gera diariamente? Repensar o consumo de plástico e outros resíduos é uma prática de sustentabilidade ambiental essencial pra contribuir com o Planeta e, consequentemente, com todos nós. Afinal, o equilíbrio do meio ambiente impacta diretamente na nossa qualidade de vida.

Mesmo sendo pouco comum, o conceito de Zero Waste fala justamente sobre isso: unir um estilo de vida que visa a redução de lixo com o objetivo de conscientizar todo mundo pra fazer o mesmo.

É por esse motivo que hoje eu vim falar sobre o assunto, explicando o que é Zero Waste, como aderir a essa prática e os pilares da sustentabilidade mais relacionados a ela. Continua aqui comigo!

Índice

O que é o movimento Zero Waste?

Vou começar pelo começo: o movimento Zero Waste — “lixo zero” em português — gira em torno de diminuir os resíduos que nós produzimos ou até mesmo eliminar eles por completo.

Aliás, o lixo zero é uma pauta transformadora e está totalmente ligada à ressignificação das coisas que consumimos. Por exemplo: já se perguntou pra onde vai o que você joga fora? O tempo que esses descartes ficam no Planeta é muito extenso, podendo até ficar rolando por aí durante séculos.

Assim, o movimento propõe reflexões sobre o uso de cada bem material, nos fazendo questionar se eles podem ser reutilizados ou reciclados — ou até mesmo se são necessários!

desenho de pessoa jogando lixo na lixeira

Os 5 R's que formam os princípios Zero Waste.

A escritora e ativista Bea Johnson se popularizou no movimento Zero Waste por escrever um livro chamado Zero Waste Home ("Casa Sem Lixo", em português). Dentre as pautas abordadas, ela compartilha cinco princípios pra manter uma vida com lixo zero. Conheça:

  1. Recuse – faça a seguinte pergunta: será que realmente preciso disso? Se não for nada essencial, não tem por que permitir que ocupe espaço;
  2. Reduza – essa prática equivale a menos desperdício em geral, e é no que se resume uma vida lixo zero;
  3. Reutilize – reaproveite tudo o que puder. Dê preferência a versões mais duráveis e laváveis dos produtos que você normalmente consome;
  4. Recicle – recicle o que você não pode recusar ou reduzir – lixo não-reciclável é o desperdiçador de energia que precisamos tentar evitar;
  5. Repense – reflita sobre o que sobrou: compostagem de restos de comida, pedaços de papel e escovas de dente de madeira ou bambu, por exemplo, retornam nutrientes e fibras de volta à terra.

Uma forma legal de praticar o Zero Waste é seguindo movimentos como Julho Sem Plástico, uma campanha ambiental que gera impactos super positivos. Dá uma olhadinha no post que eu fiz sobre ele e fique por dentro: Julho sem plástico — como ter um banheiro sem plástico.

capa do livro zero waste home

Por onde começar a vida Zero Waste?

Não é necessário eliminar todo o lixo de uma vez pra aderir ao movimento Zero Waste. Qualquer passo que você dê em direção à minimização de resíduos já é uma conquista que impacta positivamente o meio ambiente.

Além de compreender os 5 R´s da vida sem lixo, é possível tomar algumas ações simples que podem te guiar no começo da jornada lixo zero, olha só:

1. Analise a origem e quantidade do lixo que você produz.

Antes mesmo de mudar qualquer coisa em sua rotina, um passo importante pra aderir ao movimento zero lixo é entender de onde esses materiais estão vindo e com qual frequência. Pra te ajudar, eu trouxe aqui os principais tipos de lixo que produzimos diariamente em escala global:

  • Orgânico: folhas, sementes, restos de alimentos (frutas, vegetais, cascas de ovo, carne, borra de café, etc.), guardanapos sujos e dejetos, por exemplo;
  • Reciclável: plástico (garrafas, sacolas, embalagens, caneta sem tinta, brinquedos), papel, papelão, metal, vidro;
  • Comum: embalagens diversas, esponjas, bitucas de cigarro e tudo o que não é reciclável;
  • Doméstico: todos os resíduos que produzimos em casa — orgânico, reciclável e comum;
  • Comercial: lixo produzido pelo comércio, como caixas de papelão, embalagens plásticas, sacolas e restos de alimentos;
  • Têxtil: pedaços de tecidos, roupas rasgadas, roupas íntimas "velhas", peças de roupa com defeitos;
  • Eletrônico: aparelhos em desuso, como TVs, celulares, computadores, pilhas, cabos, eletrodomésticos e fones de ouvidos;
  • Industrial: restos de matéria-prima (orgânica ou não), gases, produtos químicos, óleos, metais, lixo radioativo;
  • Hospitalar: seringas, medicamentos, materiais cirúrgicos, resíduos químicos e radioativos — lembrando que esse tipo de lixo deve ser descartado por empresas especializadas.

Eu sei que, ao nível pessoal, a gente não produz exatamente todos esses tipos de lixo. Mas eles existem e o primeiro passo pra seguir o movimento é conseguir identificar quais deles você já produz e se são realmente necessários.

É aqui que você começa a repensar também seu consumo, o que pode te ajudar a investir no que realmente vale a pena — até porque muita coisa produzida hoje em dia passa por processos químicos nocivos à saúde das pessoas envolvidas na produção e, claro, ao Planeta também!

2. Aprenda a descartar da forma correta.

Aprender a descartar nosso lixo corretamente é um passo importante pra levar uma vida Zero Waste e também pra ajudar a deixar o Planeta um pouquinho menos poluído. Sabe os tipos de lixo que a gente acabou de ver no tópico anterior? Então, todos eles podem ser recolhidos por programas de coletas municipais específicas ou levados a aterros sanitários.

descarte de embalagens B.O.B

Na dúvida, faça uma pequena pesquisa, pra ver se há algum depósito designado a receber esses descartes (como instalações de reciclagem e tratamento de lixo). É possível até encontrar alternativas que cuidem de materiais mais difíceis de reciclar, como lixo eletrônico, baterias, poliestireno, tubos de pasta de dente e cabeças de escova de dente elétrica.

Não se esqueça de separar bem o seu lixo conforme o tipo, lavar e secar bem os recipientes (como frascos de molho e caixas de leite) antes do descarte, assim você contribui pra um processo de reciclagem mais limpo. Ah, e se tiver algum vidro quebrado pra descartar, lembre de embalar bem, pra não correr o risco de machucar alguém, tá bem?

3. Comece a compostar seu lixo orgânico.

Muito do nosso lixo orgânico gera um adubo natural riquíssimo pro solo. É aí que entra a ideia da compostagem: um processo que transforma o resíduo orgânico em adubo natural pra enriquecer o solo de jardins, plantas e também de plantações agrícolas.

Pra isso, você vai precisar de uma composteira, que nada mais é do que um recipiente ou local (buraco cavado na terra, por exemplo) onde você vai colocar o resíduo orgânico e deixar o processo da compostagem acontecer. E é super fácil de fazer sua composteira caseira, olha só:

  1. Arrume um recipiente largo e fundo — baldes ou caixas de material reforçado são ótimas opções;
  2. Coloque terra dentro do recipiente até pouco mais da metade;
  3. Cave um buraco na terra e encha com seu lixo orgânico — cascas de ovo e frutas não cítricas, borra de café e talos de vegetais são os melhores;
  4. Você pode cobrir a compostagem com folhas secas pra evitar que o odor natural — que pode ser um pouquinho desagradável — se espalhe pelo ambiente;
  5. Regue de tempo em tempo pra manter a terra sempre úmida e ajudar no processo de compostagem dos resíduos;
  6. A cada duas semanas, mexa o composto pra ajudar na decomposição e oxigenar o material;
  7. Depois de algumas semanas você já tem seu adubo prontinho pra adicionar em suas plantas ou hortas caseiras!

Ah, é importante ressaltar que não é uma boa ideia adicionar carnes, cascas de frutas cítricas e fezes de animais na composteira, porque eles podem comprometer o processo de biodegradação que acontece lá dentro. Procure pontos em sua cidade que recolhem esse tipo de resíduo orgânico pra descartar corretamente, ok?

4. Carregue uma garrafa ou copo reutilizável.

Parece simples? Sim, mas é porque é mesmo! Simples e muito impactante: você pode economizar em média 156 garrafas por ano usando apenas uma garrafa reutilizável. Também vale pras xícaras de café, que você pode levar de casa pro escritório ao invés de utilizar aqueles copos plásticos descartáveis, por exemplo.

5. Use sacolas de compras reutilizáveis.

Você sabia que as sacolas plásticas levam centenas de anos pra se decompor, danificando ecossistemas e também comprometendo a vida de muitos animais? Ao substituir esses itens pelas versões reutilizáveis, você evita que esses resíduos ocupem a Natureza!

Extra: Zero desperdício de itens de higiene pessoal e beleza.

Um bom lugar pra começar a ter uma rotina mais sustentável é no banheiro. Os produtos de higiene pessoal possuem embalagens altamente descartáveis, já que o tempo de uso deles é muito curto. Fora isso, os ingredientes que estão dentro desses produtos geralmente são nocivos pra gente e pro Planeta. 

Ótimas alternativas pra substituir os seus itens de higiene pessoal são as minhas barrinhas. Eu desenvolvi por aqui shampoos, condicionadores, máscaras capilares sabonetes corporais, sabonete íntimo, barras de limpeza facial, desodorantes e vários acessórios que usam apenas ingredientes naturais, dispensam o uso de conservantes sintéticos potencialmente nocivos, são veganos, plastic free, cruelty free e ainda não usam água na composição. 

banheiro com produtos B.O.B

Por serem livres de água na fórmula, minhas barrinhas são super concentradas, o que também faz com que elas durem mais tempo e sejam um ótimo custo-benefício. Então, além de você ajudar o Planeta, também estará investindo em produtos de alta performance e de durabilidade prolongada. Tudo, né?

Se quiser encontrar as melhores barrinhas pra você, faça meus quizzes, são algumas perguntinhas rápidas que te ajudam a identificar os melhores cosméticos pros seus cabelos e pra sua pele.

Prós e contras de um estilo de vida Zero Waste.

É claro que, como qualquer mudança de hábito, a transição pra uma vida Zero Waste tem seus prós e contras. Mas os benefícios são muito maiores e mais impactantes do que qualquer dificuldade que possa aparecer no caminho pra essa mudança acontecer!

É um estilo de vida que exige dedicação, pois pode ser frustrante e demorado no início. Afinal, são hábitos que precisam crescer em você, por isso, se adaptar a essa nova maneira de viver pode levar um tempo. Mas depois de se estabelecer neste novo estilo de vida, ele traz muitas recompensas para você e pra natureza.

E viver sem desperdício não significa viver sem os luxos da vida, significa apenas uma abordagem mais consciente das nossas escolhas como consumidores.

E se você quer continuar a aprender sobre práticas sustentáveis incríveis, confira meu post sobre moda sustentável, onde eu explico tudinho sobre o assunto — desde o que é até seus diferentes segmentos. Continue nessa jornada pelo seu bem e pelo bem-estar do planeta. Até a próxima!
Compartilhe no Linkedin

Deixe um comentário

meus produtos

promoção
promoção
promoção
promoção
promoção
promoção
promoção
promoção
ver todos os produtos