rio serpenteando uma planície

Recursos hídricos x mudanças climáticas: qual a relação?

A água, em todas as suas formas, é um recurso muito precioso e necessário pra qualidade de vida no nosso Planeta. Só que esse bem finito também possui sua preservação mais ameaçada, não só por conta do consumo desenfreado que fazemos dele diariamente, mas também pelas mudanças climáticas que a Terra vem sofrendo.

Conhecer bem como essas transformações no clima afetam os recursos hídricos é, sem dúvida, o primeiro passo na missão de encontrar ações que ajudem a impedir que eles sejam esgotados.

Por isso, hoje eu te convido pra um papo super legal onde nós vamos explorar a fundo a relação entre a temperatura do Planeta e a crise hídrica, além de conhecer 3 ações super práticas que trazem mais conscientização sobre a preservação da água e nos ajudam a usar ela de forma responsável. Vem comigo entender!

Índice

Recursos hídricos muito além da água potável

Quando pensamos nos recursos hídricos, é bem normal que a primeira coisa que venha à nossa mente seja a água potável de uso pessoal, ou seja, que bebemos e usamos pra tomar banho, escovar os dentes, limpar a casa e por aí vai!

Só que esse conceito é bem mais abrangente que isso, porque envolve todo o reservatório superficial e subterrâneo de água do Planeta, passando pelos lagos, rios, mares e oceanos até os lençóis freáticos, aquíferos e geleiras. E dessa riqueza toda, apenas 2,5% é realmente potável, sendo que esse total minúsculo é distribuído da seguinte forma:

infrográfico sobre os recursos híbricos

Ou seja, grande parte da água disponível pra consumo é invisível aos nossos olhos, mas nem por isso ela perde o impacto direto no nosso dia a dia. Isso porque os recursos hídricos também são essenciais pra equilibrar a umidade do ar, conservar a vegetação e preservar a vida animal, seja aquática ou terrestre.

E, independentemente da origem ou do uso, todas as fontes de água — potáveis ou não — estão cada vez mais ameaçadas por um fator em comum: a crise climática mundial!

A ameaça das mudanças climáticas aos recursos hídricos

Assim como o corpo humano, nosso Planeta possui a temperatura certa pra se manter em equilíbrio e fazer tudo funcionar do jeitinho certo. Quando falamos em mudanças climáticas, nos referimos justamente às alterações que essa temperatura vem sofrendo, principalmente por interferência humana que ameaça todo o ecossistema. Isso inclui, é claro, os recursos hídricos.

Conforme a atmosfera fica mais quente, todos os reservatórios de água sofrem diretamente com essa mudança: as geleiras se derretem mais rápido, a água dos rios e oceanos evaporam com mais facilidade — causando chuvas mais frequentes e até inundações — e regiões que já possuem uma reserva hídrica escassa podem passar por períodos de seca ainda mais longos.

E isso acaba comprometendo diretamente o acesso à água potável e a qualidade de vida, principalmente em comunidades sem infraestrutura pra lidar com enchentes ou secas, além das que são construídas em áreas com grande risco de deslizamentos, por exemplo. É por isso que não podemos esperar: a insegurança hídrica deve estar no centro das discussões sobre a crise climática!

Preservar recursos hídricos é possível? Conheça 3 ações!

Sabe quando vemos por aí essas recomendações de consumo consciente da água, como fechar a torneira ao escovar os dentes, tomar banhos mais rápidos ou não lavar o carro com a mangueira? Esses são exemplos incríveis de ações que podemos tomar no dia a dia pra evitar o desperdício dos recursos hídricos.

Mas quando colocamos as mudanças climáticas na equação, é importante considerarmos também práticas que tenham seu papel na luta contra a poluição e que ajudem na conscientização coletiva. Pra te ajudar, eu separei aqui 3 exemplos de ações, olha só:

1. Transforme o assunto em pauta de discussões

Se a sua ideia de contribuição pra preservação dos recursos hídricos envolve mobilizar todo o coletivo em direção à mudança, uma boa estratégia é trazer a causa hídrica pros holofotes das conversas que você tem e participa, seja no seu meio social ou online.

Você pode até mesmo aproveitar datas especiais, como o Dia Mundial da Água, comemorado todo 22 de março, pra levantar discussões sobre o assunto, participar de palestras de webinars e se envolver em ações da sua comunidade pra fomentar a conscientização sobre a importância de preservar a água.

Aliás, muitas vezes, as próprias prefeituras das cidades realizam eventos na data e convidam a população pra participar!

duas pessoas segurando um globo terrestre

2. Faça trocas conscientes no seu dia a dia

A um nível mais pessoal, existem diversas trocas sustentáveis nas quais você pode investir pra lutar contra os efeitos das mudanças climáticas e ajudar a preservar os recursos hídricos. O primeiro passo é considerar como a sua atual rotina pode estar contribuindo pro aumento da poluição e pro desperdício da água, e procurar trocar esses hábitos, dentro do possível. Você pode:

  • trocar o carro pela bike;

  • reduzir os pedidos de delivery e explorar mais aquelas receitas caseiras que você morre de vontade de aprender;

  • deixar a fast fashion de lado e investir em roupas mais duradouras, feitas em tecidos ecologicamente corretos;

  • aproveitar o dia ensolarado pra deixar as roupas secando no varal, ao invés de usar a secadora;

  • investir em embalagens e bolsas reutilizáveis pras compras que você faz.

É claro que esses são apenas alguns exemplos de práticas possíveis de adotar no dia a dia, mas você pode adaptar elas conforme o que se adéqua ao seu momento. O principal aqui é que todas elas atacam o problema pela raiz, reduzindo a quantidade de lixo e diminuindo a emissão de gases de efeito estufa na atmosfera — que, inclusive, estão entre os principais causadores do aumento da temperatura global, segundo a própria ONU [1].

Nosso futuro no planeta depende da restauração da natureza

3. Invista em uma rotina waterless

Você sabia que a indústria dos cosméticos convencionais é uma das mais envolvidas no mal uso de recursos hídricos? Pois é, um shampoo líquido tem, em média, 80% de água na sua fórmula, por exemplo.

E o desperdício não para por aí: cada quilograma de plástico, material usado nas embalagens desses cosméticos, consome mais de 180 litros de água pra ser produzido, além de emitir cerca de 3,5kg de CO₂ na atmosfera.

Mas a boa notícia é que você não precisa usar esses produtos pra ter um ritual de autocuidado completo, pois é possível substituir eles pela waterless beauty, ou seja, uma rotina de beleza sem água. Você pode trocar o sabonete, shampoo, condicionador e máscara capilar líquidos por versões em barra, viu?

uma imagem mostrando que 4 barras b.o.b equivalem a 8 garrafas plasticas

Além disso, vale dar uma atenção na hora de escolher a fórmula dos cosméticos pra ter cer certeza de que ela possui apenas ativos naturais, já que os sintéticos não são nada saudáveis pra você e nem pro meio ambiente — afinal, eles vão direto pros rios e mares assim que descem pelo ralo, contribuindo ainda mais pra poluição da água.

Além de serem waterless, eles possuem fórmulas concentradas e muito mais potentes que limpam, hidratam e cuidam da pele e dos fios sem que você tenha que usar muito do produto. Legal, né? Se você quiser saber mais sobre o assunto, aproveita pra ler meu post sobre os cosméticos sólidos ou líquidos: quem vence a batalha da sustentabilidade? Por lá eu faço um comparativo completo entre os dois tipos.

a restauração começa pela redução de impactos

Espero que esse papo tenha sido tão construtivo pra você quanto foi pra mim. Nos vemos em breve pra falar mais sobre sustentabilidade, bem-estar e autocuidado. Até mais!

Compartilhe no Linkedin

Deixe um comentário

promoção
promoção
promoção
promoção
best seller
ver todos os produtos